quinta-feira, 15 de junho de 2017

ANATOMIA DOS AFETOS

ANATOMIA DOS AFETOS
Silvia Moura tem um espetáculo que se chama “Anatomia das coisas encalhadas”. Nele, Silvia dança sobre o afeto que ela sente pelas coisas que encalharam no desuso, que nasceram apenas para sobrepor outras coisas de fins mais importantes: as embalagens. Daí ela tem montes de caixas de pasta de dente, fósforos, remédios. Para ela, no espetáculo, não basta a importância da essência. O que envolve a essência é também importante. É o apego sem sentido ao sentimento pelas coisas, e por isso mesmo verdadeiro: apego, este sentimento da mesma natureza do encanto, da paixão, do amor, não tem nunca sentido, apenas direção e força. É natural que seja assim. Portanto, observo em mim a anatomia dos meus afetos. Não das coisas encalhadas. Mas dos meus afetos: observei numa tarde de estudos qualquer que eles me rodeiam, e representam pedaços simbólicos de pessoas por quem eu tenho desperto um afeto às vezes calmo, às vezes vulcânico. Descansando no meio de um livro, tenho o marca páginas que Italo fez para mim. É um marca páginas de papel, com folhas secas coladas nele e troncos pintados à lápis de cor. Olho para esse marca-páginas e lembro-me de Ítalo. Sinto-me bem ao saber que ele tenha feito algo pensando em me dar. Sem uma lógica específica para encontrar os outros pontos da minha anatomia dos afetos, passo meus olhos pelo quarto e vejo de relance “Ovelhas Negras”, livro de Caio Fernando Abreu, que um namorado, Gabriel, me deu à época que namorávamos. Estranho lembrar que, a primeira vez que peguei aquele livro, meu corpo transbordava de uma paixão vulcânica, cega e desesperada por aquele meu namorado. Os contos que tem naquele livro hoje, para mim, que já me preenchi de estilos de outros autores, são por demais piegas, e facilmente encontro outros livros mais bem escritos, mas basta que eu os leia hoje, os contos de Ovelhas Negras, que eu me lembro da verdade que eles tinham para mim há 7 anos atrás, já que todos os contos são sobre carência, paixão vulcânica e desesperada: coisas que para um adolescente às vezes por ser a maior verdade. Guardo atrás de minha porta uma pedra de quase 4 quilos que trouxe na mochila de uma viagem à Guaramiranga em 2014. Há nela a data pintada de tinta branca. Olho para aquela pedra e penso no tempo: pedras me fazem ser tomado quase que completamente de uma viagem existencial que abrem abismos na minha consciência. De 2014 para cá a pedra continua silenciosa e incólume. Eu, de 2014 para cá, sou o exato contrário da pedra: dela não tenho o silêncio, não tenho a forma acabada e intacta, não tenho a dureza. Tenho talvez apenas o mistério da existência em mim, que é o mesmo mistério da existência que há na pedra. Às vezes esqueço, mas tenho em mim a consciência que às vezes vem à tona: meu corpo é parte dos genes que foram dados a mim por meus pais. Sou um pouco eles. Ganhei de minha mãe o formato do nariz e dos olhos, de meu pai a cor dos cabelos e o excesso de pêlos no corpo. Sou, eu também, fisicamente, um aglomerado de coisas que foram constituídas de outros. Nada é unicamente meu tanto por dentro quanto por fora. Tenho no verso de uma folha riscada, um desenho de Maik, o meu amigo escritor. No desenho há um casal de pessoas nuas e de olhos fundos e tristes. Maik conhece bem a secura da vida, e não conheci até agora ninguém melhor do que ele capaz de expressá-la de forma tão maldita e maravilhosa quanto ele expressa em seus textos e seus desenhos. De João Mário tenho uma camisa, uma cueca roubada e a lembrança de temperos fortes, de Peterson uma miniatura de Pikachu, de Leonardo dois casacos nunca devolvidos, de Ely alguns livros presenteados, de outras pessoas não menos importantes meias, pesos de papel, agendas. O trabalho de Silvia, por exemplo, agora, foi o que deu a mim a consciência das pequenas coisas que constituem o atlas anatômico dos meus afetos. Se eu lembro bem, vou enxergando as coisas que tenho e percebo que muito pouco foi primeiramente meu. Quase tudo o que tenho de importante para mim me foi doado. Tudo o que eu mesmo consegui de mim mesmo não dou muito valor. O resultado da soma de mim mesmo comigo não me interessa tanto quanto o resultado da soma dos outros comigo. Como os componentes de qualquer anatomia, esta não é simples, mas muito complexa. Não quero me estender a cada um dos elementos. Vislumbrar esta verdade, para mim, é, afinal de contas, mais importante que dissecá-la.

Por Tiago Castelo

sábado, 31 de agosto de 2013

Para os Poetas de Plantão.

Aqui vai a minha mais completa ousadia: a de escrever ...
Lavei os pés, a intimidade e o rosto.
Na verdade , nem sei bem ao certo para que lavar-me.
Essa necessidade de estar limpa, vem de onde?
De que parte de mim?
Quando me vejo transfigurada pela melancolia,pelo tédio, já me bate logo essa economia de limpezas.
Vem um desejo de não me lavar , de não me banhar...
Cabelos sujos, desgrenhados, cheiro de guardado, de mofo mesmo.
Combina mais com os olhos fundos sem brilho.
Não há comiseração ,ou piedade, não há.
Há um entorpecimento,um desânimo, algo que parece vir de um outro tempo,sequer tem ligação com fatos corriqueiros./É vazio, oco.
Sem nenhum preenchimento.
Um quase vácuo.
Um quase nada.
Posso ficar horas construindo frases.
Mas , não há em mim nenhum engano: Não é poesia.
O que escrevo ,ou talvez desabafo, não é do mundo dos poemas.
É o que sujo dentro de mim vaza, sobra.
É a minha alma que agoniada vomita.
Só isso.

Silvia M.

sexta-feira, 30 de dezembro de 2011

Moshimoss - Slow Days It Was Super

Um encontro dentro de mim..eu e a dança...nesse momento fecho os olhos e danço, posso sentir o suor escorrer sobre o meu corpo...os braços se movem lentamente,meu corpo gira em torno de uma forte luz que sinto, só sinto...Não há pressa, o tempo escorre devagar entre um movimento e outro. os pés descalços estão firmes no chão e minha cabeça pende para trás...meu corpo vira de leve para o lado como se alguém me chamasse de longe, e eu olho...Não há pressa -repito...Tudo é lento e vivo..Há vida nos meus dedos, que desenham no ar espirais..O chão parece tão distante...e toco o céu com as pontas dos dedos...não há limite entre mim e o infinito...Danço...

quarta-feira, 7 de dezembro de 2011



Não consigo compreender esses dados. O que isso tudo quer dizer???falta de interesse com a Cultura ???desorganização ??????


Dados fornecidos por Vanéssia Gomes:

No dia 24 de novembro, às 15h, no Complexo das Comissões Técnicas da Assembleia Legislativa do Estado do Ceará, durante a Audiência Pública que debaterá sobre as Políticas Públicas de Cultura em conjunto com a Câmara dos Deputados, a Profª. Sandra Maciel Barreto, do Localizador Cultural, apresentou o orçamento de 2011 da Secretaria de Cultura do Estado do Ceará (SECULT).

Conforme documento oficial, entregue pela Profª. Sandra ao Dep. Artur bruno, o orçamento para 2011 autorizado à SECULT pelo Governo do Estado foi de R$81.453.124,90 (oitenta e um milhões, quatrocentos e cinqüenta e três mil, cento e vinte e quatro reais e noventa centavos). Deste montante, até 24/11/2011 a SECULT só havia empenhado R$35.230.586,30 (trinta e cinco milhões, duzentos e trinta mil, quinhentos e oitenta e seis reais e trinta centavos).

O que isso significa?
Que deduzidos os recurso de Convênios com Orgãos Federais, a SECULT terá que devolver ao cofre público do Governo do Estado do Ceará o que não investiu na Cultura. Ou seja, R$39.626.435,60 (trinta e nove milhões, seiscentos e vinte e seis mil, quatrocentos e trinta e cinco reais e sessenta centavos).
Para entender o orçamento da SECULT
Orçamento Anual é composto por:
Recursos do FECOP + Recursos do FEC + Recursos do Tesouro + Recursos de Convênios Ministeriais = 81 milhões
Não são contabilizados ao orçamento os recursos oriundos da:
Isenção Fiscal = Mecenato = Abril = R$9.576.000,00

= Mecenato = Dezembro = R$ valor ainda não determinado

Ou seja, o orçamento + mecenato chegará a aproximadamente 100 milhões...
E nós... de pires na mão!

E mais: onde foram investidos/empenhados R$32.277.356,30 (R$35.230.586,30 – R$2.953.230,00 - convênios ministeriais)?

sexta-feira, 1 de abril de 2011

Anatomia Das Coisas Encalhadas.
Hoje 01/abril- Vila das Artes -Projeto Intercâmbios 2010/2011
Iniciando o Mês da Dança.
Éramos poucos, fazia calor.
Minhas " inutilidades " expostas juntas no chão..E a pergunta que não calava - O que dançar entre as sobras , entre o que deveria ser lixo, o que há para dançar nisso ????
E enquanto eu falava a imagem de pessoas idosas me vendo vinham na minha cabeça , como num filme de mim mesma.. A dança agora era outra , queria tratar sobre fragilidade, sobre o que não é usado, sobre o tempo, sobre escolher, sobre guardar, e ver o tempo exercendo seu poder nisso tudo.
Já foi bonito - acredite. Frase martelando na minha cabeça . Eu ainda vejo beleza .
Há uma dança que acontece ao redor de mim, tão delicada, tão pequena a vontade de mover,quase quero ficar parada.Não sinto necessidade de muitos movimentos.
E no meio de tudo uma vontade ensurdecedora de desabafar, de dar ao outro aquilo que até então era só meu: minha incapacidade de me desfazer das coisas , das situações , das pessoas, das sensações e por fim -dos objetos. O desejo de salvação do fim de sua vida útil, a vontade de prolongar um tempo mais sua existência - salvar a todos da vida efêmera e fútil de ser apenas embalagem para algo que já foi usado....
E depois de feito o desabafo- Vem um vazio cheio de preenchimento,um silêncio ruidoso das palavras e sensações trazidas à tona.
Lembranças tão delicadas. Que tem um significado pra mim, e para os outros ??
Quando realmente sabemos que aquilo que queremos tratar se comunica com o outro?????
Senti olhares quentes, ternos, senti .
Me pergunto: Nos comunicamos? Terá ficado algo em alguém ?
Minhas palavras e o meu corpo entre elas junto com a exposição das minhas inutilidades , tudo isso junto diz algo?
A produção de significados se relaciona com a experiência que vivemos ali naquele momento????
Tratar de delicadezas, de pessoalidades é um risco sempre muito alto.
Minhas coleções , antes só minhas, agora fazem parte de outros pensamentos.
Tiveram uso e vida mais uma vez. Meu corpo , minha dança a serviço de trazer, de possibilitar alguma parada no correr do tempo . Tem um momento,breve, que há uma suspenção, como se todos tivessemos respirando e ...... parado um pouco a pressa , a correria das horas , das tarefas infindáveis.
Em mim vem a necessidade de colocar questões : Compramos tanto, usamos tudo????? Usamos tanto,precisamos de tudo ???? Precisamos de tanto, nos responsabilizamos por tudo ?????
Questões...Questões...Questões
Silvia Moura.

segunda-feira, 28 de março de 2011


Aos que dedicam sua vida a arte de criar outras pessoas, outras realidades, a arte de fabular histórias entrego meu respeito, meu carinho, minha admiração.Desejo á todos coragem e força para apesar de tudo continuar insistindo nessa dedicação heróica que é viver de sonhos. Um Dia MUNDIAL DO TEATRO iluminado á todos. Em particular aos meus amigos Eurico Bivar, Acleiton Vicente Jorge Luis Viana,Francisco Wellighton,Nina,Arnaldo Matos, Marcos Miranda, Lili Alcalay e Artur Guedes que nos iluminem de onde estiverem.
Luz para todos...

quinta-feira, 17 de março de 2011

Lei ROUANET-REVISÃO JÁ!

Opinião: O problema não é Maria Bethânia…

em 16 Março, 2011 |


Não há outra forma de começar este texto sem esclarecer, antes de qualquer coisa, que não estou defendendo Maria Bethânia e que nem sou fã do seu trabalho.

O que mais me desanima nesta história toda e na repercussão que a coisa tomou é a maneira como as pessoas perdem o foco da causa mais importante e deixam de atacar a verdadeira razão do problema pra procurar endemonizar uma figura pública.

A grande questão disso tudo, e que muita gente não percebe, é que o problema não é o projeto de Maria Bethânia. Não tive acesso a ele, mas acredito que não exista nada errado com o projeto. As pessoas se assustam com a cifra e não querem entender mais nada.

Pra começar, o projeto está até barato. Desde quando 3,5 mil reais (1,3 milhão do projeto dividido pelos 365 vídeos que serão realizados) está caro para um clipe de Andrucha Waddington (diretor global e de filmes premiados em Cannes e outros festivais – e, mais uma vez, digo que não estou exercendo nenhum juízo de valor sobre o trabalho deste profissional)? E isso se o montante todo fosse para a realização dos vídeos, sem contar o cachê de Maria Bethânia, de Hermano Vianna (que coordena o projeto), os custos com o site (design, programação, manutenção, hospedagem e etc e etc), além de toda uma equipe técnica de dezenas de pessoas envolvidas e trabalhando.

Não acho que o projeto seja ilegítimo. E não acho um absurdo o valor. O problema, obviamente, é quem paga essa conta. E se, por lei, Maria Bethânia tem o direito de inscrever um projeto, por que está errado ela inscrever? Se você fosse rico e famoso e tivesse direito a um recurso para investir em sua carreira, gravar um novo CD, clipe ou filme, não faria? O grande equívoco do negócio é a lei que permite que ela faça isso. E não só ela. Ivete Sangalo, Marisa Monte, Caetano Veloso, o Rock in Rio (sim!), diversas super produções da Globo Filmes e uma infinidade de projetos milionários tem a todo ano a sua captação aprovada através de leis de incentivo.

Ah, eu disse captação. Porque ainda tem isso. Tem gente que não sabe o que esta palavra significa e pensa que o Governo está entregando a dinheirama diretamente na mão da cantora. Não, o projeto dela foi apenas habilitado a captar recursos. Isso significa que agora eles terão que procurar patrocinadores junto à iniciativa privada. As empresas é que vão pagar o 1,3 milhão ao projeto de Maria Bethânia e depois vão abater parte desta quantia do imposto de renda (aí sim, indiretamente, este valor sai dos cofres públicos).

A Lei Rouanet não avalia o mérito do projeto e o seu desdobramento social. Para um projeto ser aprovado basta que ele preencha todos os pré-requisitos do formulário de forma clara e objetiva e que o currículo do proponente comprove que ele tem capacidade técnica de realizar tal projeto.

Neste ponto, temos a grande questão. Além de Maria Bethânia, também o Joãozinho, o Juquinha e a Aninha tiveram os seus projetos inscritos e aprovados para a captação pela Lei Rouanet. Mas as grandes empresas vão preferir patrocinar quem? A grande Maria Bethânia ou os ilustres desconhecidos fictícios citados acima? Lógico que os empresários vão investir o seu rico dinheirinho em artistas já famosos e consagrados que vão garantir mais visibilidade e retorno de marca.

Assim, as organizações ganham duas vezes: com o imposto que é isentado e com a publicidade gratuita obtida nestes grandes projetos. Isso sim é um absurdo. Porque a decisão do destino dos recursos públicos fica a cargo da iniciativa privada, que acaba por gerir, de alguma forma, a política cultural nacional com interesses substancialmente mercadológicos. É a privatização da cultura!

Então, mais uma vez eu repito. O problema não está com Maria Bethânia, tampouco com o orçamento do seu projeto. Ela está apenas exercendo um direito de cidadã e de artista. O problema todo é o mecanismo de tal lei que permite que um projeto com grande apelo midiático e facilidade de obtenção de patrocínios privados dispute os investimentos estatais com outros projetos de menor visibilidade.

O que mais me deixa indignada em repercussões deste tipo é a escolha de alguém famoso pra alvo de ataques, sem que ele tenha culpa real na questão. Reparem a grande mobilização na internet que está levando o assunto aos Trends Topics do Twitter e gerando uma avalanche de posts em blogs diversos e em perfis do Facebook. Tudo isto para falar (mal) de Maria Bethânia e do valor astronômico da sua nova obra. Enquanto se deixa de atacar a verdadeira raiz do problema. Simplesmente um desperdício de tempo, saliva e caracteres. Não seria mais produtivo se este esforço fosse direcionado para a discussão da reformulação da lei em questão?


terça-feira, 15 de março de 2011

E a Dança???

Esse fim de semana Vi dois trabalhos.
COMPARTIR-Solo de Marina Carleial daqui do Ceará.
CARROSEL DAS ESPÉCIES - IValdo Bertazzo - de São Paulo
É bom ver dança, eu sempre me coloco diante do que vejo.
Onde estou em relação aquele trabalho? O que ele causa em mim??Como me sinto antes e depois de ter visto?Ele me fez alguma pergunta?Me transportou para algum lugar? Me causou quais sensações ????
Só depois me pergunto questões técnicas referentes ao trabalho.
E sempre me coloco do porque o artista fez aquele trabalho, ai entra os meus valores.De porque tratar de um assunto, o porque de fazer algumas escolhas cênicas, éticas e estéticas.
Fiquei feliz com a Evolução do Trabalho da Marina. Uma Artista que vem buscando seu caminho em trabalhos solo, o que por si é um caminho árduo.Excelente a interação com os músicos que realizam a trilha ao vivo, se torna um prazer a mais.
Quanto ao trabalho de Ivaldo B. ressalto a beleza e crescimento dos bailarinos , que é encantador. Porém o espetáculo em si não me deixa muita coisa,se parecendo com um Show comercial de variedades. Tendo um fio condutor frágil e sem coerência. Confesso:Eu esperava muito desse trabalho, por ter visto outros trabalhos do Coreógrafo de excelente qualidade. Nesse espetáculo a sensação é que : Está tudo lá, mais falta algo importante.
A experiência de assistir um espetáculo pra mim é de altissíma responsabilidade: treinar meu olhar para ver com generosidade sem perder a capacidade de análise ,manter minha capacidade de fabulação e encantamento sem emplastificar meus sentidos.
Ver um espetáculo é um aprendizado que leva muito tempo e exige generosidade,disponibilidade e humildade.
Eu me exercitei nesses dois trabalhos,e do exercicio me sobrou bastante para pensar, refletir sobre a dança que se faz aqui, sobre a minha dança, sobre como se faz dança, e o porque de se fazer DANÇA.
Agradeço aos artistas que me permitiram esse aprendizado.
Silvia Moura.

sábado, 8 de janeiro de 2011

Onde estarei em Janeiro/2011

Onde estarei em Janeiro:
Há uma pausa...longa pausa.

Dia10-Reunião Conselho Municipal de Cultura
Dia 22- Ocupa-se-ARTELARIA
Dia 25 - TERÇA SE DANÇA - CUCA CHE GUEVARA
Dia 28- Inicio Projeto 18:04 Chá com ...
Dias 29 e 30 -PRAONDE é que tu Vai????? Espetáculos na Artelaria-20h
Residência com Edmar Cãndido -Grupo Fuzuê na Artelaria- terças de Janeiro as 19h
Todas as quintas ás 19h - Aula na Artelaria.

quarta-feira, 15 de dezembro de 2010

Onde estarei em Dezembro

Dias 01 e 02 - MOSTRA DE SOLOS E DUOS - CUCA CHE GUEVARA
Dias 3,4 e 5 - MOSTRA DE SOLOS E DUOS -Theatro José de Alencar
Dia 04 - OCUPA-SE - ARTELARIA - MOSTRA DE SOLOS E DUOS
Dias 8 a 12 -Viçosa - FUI - Festival União da Ibiapaba
Dia 15 - 1ª Reunião do Conselho Municipal de Cultura de Fortaleza - Vila das Artes

e depois??????
Dia 15/12/2010
1ª Reunião do CONSELHO MUNICIPAL DE CULTURA DE FORTALEZA ás 14h na Vila das Artes.

sexta-feira, 29 de outubro de 2010

Onde vou estar - Novembro

01 a 05-São Paulo - Curso de Biomecânica
06 a 10- revendo os amigos queridos.Felicidade e emoção.
12-Praça José de Alencar -A chuva também Molha - CEM
13 e 14 -SESC IRACEMA - A cadeirinha e os outros - 20h
13 - Ocupa-se ARTELARIA - Convidados - CIA ETRA
18 a 21 - Goiânia - Festival Diagnóstico - A cadeirinha e Eu e ENGARRAFADA
23 a 30 - MOSTRA DE SOLOS E DUOS CUCA CHE GUEVARRA /THEATRO JOSÉ DE ALENCAR/SESC IRACEMA/ARTELARIA (ver programação em outra postagem)
24 a 27 - Mostra ECO ARTE E CULTURA-Dragão do Mar
26 -Mostra Intenções em Itapipoca- Anatomia das coisas Encalhadas.

Les rêves dansants

Dia 27 de Outubro- Posse do Conselho Municipal de Cultura.
44 Conselheiros tomam Posse.

Importante momento da história da Cultura e das políticas públicas da nossa cidade. Hora de começar a construir juntos uma Política Cultural. Sou com muita honra a Conselheira que representa a dança.Agradeço a todos que depositaram em mim sua confiança.

A história se fazendo com nossa participação.

sexta-feira, 15 de outubro de 2010

segunda-feira, 11 de outubro de 2010

Comentários e resposta - vale a pena ler.

Fiz esse comentário no FACEBOOK:
Chega de tanta Bobagem. O que importa mesmo ???????As pessoas se importam tanto com Política , e onde é que elas estão no resto do tempo???acompanham seus candidatos???Fazem valer toda essa baboseira de propaganda???defendem os interesses do povo e do Brasil nos anos seguintes aos da Eleição??????
E recebi essa resposta:
Arnaldo Fernandes comentou seu status.

Arnaldo escreveu:
"Olá Silvia,
Avalio que seu 'desabafo' é significativo, pois, apesar de sintético, denso de conteúdo da mais alta relevância.
Muito do que vemos é a torcida (por candidat@ a, b ou c) de pessoas que fazem muito pouco ou quase nada no no dia-a-dia para mudar a realidade na qual viemos. No mesmo sentido, a grande maioria das pessoas que estão no comando das instituições políticas, estão mais preocupadas com as satisfação dos próprios objetivos (notadamente patrimonialistas) do que verdadeiramente embuídas de um sentimento coltivo.
Diante dessa situação, penso que devemos buscar superar o paradigma da representação como substituição, que tanto a prisionam as pessoas do 'lado de fora' das reais instâncias onde são tomas as decisões políticas mais relevantes. Enfim... já está mais que na hora da maioria das pesoas passar da condição de espectador/torcedor para o de protagonista. E isso podemos (e devemos) fazer tanto no campo da política (para tanto se faz necessário uma ampla e profunda reforma política) como no plano da dimensão política não institucional (participando de associações de bairos, profissionais etc).
Dá trabalho ? Dá, mas temos que fazer senão vem alguém e 'fala em nosso nome, rouba nosso direito e, ainda por cima, se acharmos ruim reprimem nossa justa revolta ! Abçs"
Respondi:
Concordo totalmente com você Arnaldo e agradeço ter me respondido. Estou mesmo cansada dessa forma vazia de responsabilidade e continuidade de eleger candidatos.Acredito que política se faça no decorrer dos mandatos , cada um contribuindo na sua instância , cobrando planejamento, execução de planos e sobretudo acompanhando e construindo a cidade e o País que a gente acredita ser o melhor para o povo brasileiro.
Agradeço suas palavras, elas me fizeram refletir mais ainda , e reforçar minha ânsia de não colaborar com essa massa "eleitoreira ,superficial e oportunista" que aparece em todas as eleições.
Agradecida.
"Eu não suportava ver artista vendendo seu trabalho.É a coisa mais deplorável do mundo. Não é papel do pintor, não é papel do bailarino, não é papel do ator...
Então eu quis mudar um pouco dessa história."
Davi Linhares -Diretor da Bienal Internacional de Dança do Ceará.

quinta-feira, 7 de outubro de 2010

As inscrições são gratuítas.Vamos aprender a costurar?????????
Convido a todos para participarem da MOSTRA DE SOLOS E DUOS e do Projeto PROPOSIÇÕES, que se realizaram no SESC IRACEMA, CUCA CHE GUEVARA e THEATRO JOSÉ DE ALENCAR, no período de 22 de novembro a 5 de dezembro.

Fiz um blog para concentrar todas as informações em um só lugar
http://soloseduos.blogspot.com
As inscrições serão feitas por email no endereço :
emcrise@hotmail.com

É necessário:
Release do trabalho
Ficha técnica
Fotos (se tiver)
Comentário sobre o grupo ou Artista
Tempo de duração
Especificidade de espaço
Sugestão de data de apresentação
Especificar se suja ou molha o espaço de apresentação
Especificar se é um trabalho adulto, com cenas de nudez ou muito fortes
Contato do responsável pelo trabalho-email e telefone

Considerações Importantes:
Os trabalhos deverão ter no máximo 15min.
Devido a quantidade de trabalhos, não teremos possibilidade de executar planos de luz muito elaborados.
Qualquer trabalho será aceito, não haverá por parte da organização nenhum tipo de seleção ou curadoria.
Não será cobrada bilheteria.
Sendo um trabalho realizado de forma autonôma e sem orçamento, infelizmente não teremos ajuda de custo ou caché para nenhum trabalho.
As pessoas que quizerem vir do interior ou de outras cidade , poderão ficar hospedadas na minha casa , na casa do Paulo José ou na Artelaria.
Os trabalhos serão confirmados por email .
Serão realizados ao mesmo tempo dois projetos-MOSTRA DE SOLOS E DUOS e PROPOSIÇÕES


Na Mostra de Solos e Duos serão apresentados a quantidade de trabalhos que se adequarem ao horário e espaço que temos.
No PROPOSIÇÕES teremos várias formas de participação.


PROPOSIÇÕES- DE MIM para VOCÊ - Um SOLO , UM DUO
O projeto se dá á partir da reunião de idéias que serão apresentadas durante 10 mim cada , e serão livremente escolhidas e experimentadas pelos inscritos, no período das proposições e numa Mostra especíifica em JAN/2011.As proposições podem ser no formato de SOLO ou DUO e podem ser apresentadas verbalmente ou por escrito, deverão ser apresentadas e defendidas por cada autor durante 10min. Podem ser :uma sequência de movimentos , uma frase corporal, uma sinopse, uma imagem, um poema, um roteiro.
E para inscrever:
Para apresentar Proposições:
Enviar um resumo da proposta para: emcrise@hotmail.com
Com o nome da proposta e do autor
Para realizar as Proposições:
Enviar um email de inscrição colocando onde e em quais horários estará interessado
Definir espaço e horário(CUCA CHE GUEVARA/THEATRO JOSÉ DE ALENCAR/SESC IRACEMA e ARTELARIA)



MOSTRA DE SOLOS E DUOS
PROPOSIÇÕES - De mim para Você: UM SOLO, UM DUO
Em AZUL o que já está Amarrado e confirmado

22/NOV a ver.
23 e 24 - CUCA CHE GUEVARA(espetáculos) Em definição de horários
25 e 26 - Proposições - 14h as 17h SESC IRACEMA
27 e 28 -Proposições - 14h as 18 h com apresentações as 19h - Theatro José de Alencar
no dia 28 (sala para ensaio de 14 as 18h e espaço que for possivel para as apresentações de 19 as 21h)
29 e 30-Espetáculos - SESC IRACEMA - 19h
01 e 02 /DEz - Proposições e Oficinas no CUCA Che Guevara - 14 as 17 -Proposições - 18h Espetáculos
3/4 e 5 /Dez - Tja espetáculos - 15h -17h e 18 as 21h (espaços possiveis )
3 e 4 -Proposições - ARTELARIA 10h as 14h
4/Dez - 22h - OCUPA-SE -ARTELARIA -Apresentações


Qualquer dúvida , estarei a disposição para informações e esclarecimentos.
Solicito que divulguem amplamente as inscrições que ficarão abertas no prazo de 05/Outubro até 14/Novembro.

Aguardo as inscrições.
Com atenção

Silvia Moura

Esses projetos são Apoiados por:
SESC IRACEMA
THEATRO JOSÉ DE ALENCAR
CUCA CHE GUEVARA
ARTELARIA
CEM-centro de experimentações em movimentos


segunda-feira, 27 de setembro de 2010

Sobre Editais

Pra Mim esse é um reflexo muito forte do nosso momento atual e da necessidade de rediscutir os Editais.Questões que estão sendo empurradas precisam ter um olhar e um aprofundamento.
Em alguns estados o EDITAL está se tornando a única Politíca Pública e não uma Ferramenta , o que não deixa de ser uma mera substituição da Política de Balcão, porque ao meu ver a Política de Editais é ainda excludente e ainda bastante Elitista.E o que fazer a respeito de quem não tem acesso aos editais? Esses não tem acesso a outras formas de atuação do Poder Público.
Continuaremos nos degladiando por verbas,colocando num mesmo balaio grupos iniciantes e grupos com mais tempo de atuação?
Os Editais abarcam as nossas necessidades enquanto artistas e cidadãos?
Estamos satisfeitos com o pouco de circulação, manutenção, produção, e sobretudo formação que os Editais possibilitam?
As nossas questões básicas, da nossa linguagem , são supridas?
Eu acho que nós precisamos ter uma opinião clara sobre o que os editais apontam como proposta, mesmo que não mude o que já está resolvido no Ministério/Funarte,nos Estados e Prefeituras mas, enquanto categoria , precisamos ter nossa visão discutida e colocada,porque esse exercicio possivelmente será tido como modelo pra o lançamento dos próximos Editais e utilização dos Fundos de Cultura.
Esse é o meu medo, tudo que ficar solto, continuará solto???????

Silvia Moura

domingo, 12 de setembro de 2010

Janis Joplin Summertime


Para o s intensos,os que sentem dores,os que sofrem.os que não fogem.Os que encaram de frente e seguem.

Setembro-onde vou estar!!!

31/Agosto e 01/Setembro- Salvador -Seminário de Política Cultural, Democracia e Conselhos de Cultura
10 a 12/Set Trairi - Oficina de Dança Contemporânea nas localidades de Flecheiras e Canãa-Apresentação A CADEIRINHA E EU
14 e15/Set Eleição do CONSELHO MUNICIPAL DE CULTURA de FORTALEZA
15/Set Juazeiro- Mostra de Solos e Duos - ENGARRAFADA
16 e 17/ Set -Oficina de Dança Contemporânea - Juazeiro na Associação Dança Cariri
18/Set -MANIFESTA- TJA - ENGARRAFADA
22/Set -ENGARRAFADA -20:15h na FANOR
25/Set -OCUPA-SE na ARTELARIA

domingo, 5 de setembro de 2010


Seminário Políticas Culturais,Democracia e Conselhos de Cultura
Onde :Salvador
Quando: 31/Agosto e 1/Setembro
UFBA e MINC

sexta-feira, 3 de setembro de 2010

CONVITE
Conselho Municipal de Cultura
Começou um novo momento do processo eleitoral dos representantes da sociedade civil que irão compor o Conselho Municipal de Política Cultural de Fortaleza. De 23 de agosto a 3 de setembro, serão instalados 17 Fóruns Permanentes de Cultura por toda a cidade para aprofundar o debate sobre o órgão e apresentar os candidatos que irão concorrer nas eleições marcadas para o período de 15 a 21 de setembro. A Prefeitura de Fortaleza, através da Secretaria de Cultura de Fortaleza (Secultfor) convida a todos, artistas e cidadãos interessados, a participar desses fóruns e tomar parte desse processo eleitoral.
Nesta etapa que antecede as eleições, são convocados os fóruns das linguagens e segmentos artísticos que já atuam regularmente na cidade, no entanto eles ficam abertos a quaisquer pessoas que queiram participar das discussões. Já no momento após as eleições, os fóruns atuarão em conjunto com o Conselho Municipal de Política Cultural para discussão e avaliação das políticas e ações culturais de Fortaleza. E também para formular junto às Secretarias Executivas Regionais e segmentos culturais organizados planos específicos que incluam questões referentes à gestão, memória, formação, capacitação, divulgação, exibição, incentivo, pesquisa, intercâmbio, organização, descentralização, geração de renda, acesso aos bens culturais, parcerias, entre outras.

Confira as datas e os locais onde os fóruns irão acontecer e participe!

Dança
Dia 03/09 (sexta-feira), às 14h, na Vila das Artes (Rua 24 de Maio, 1221 – Centro)

FÓRUNS PERMANENTES DE CULTURA

Artes Visuais
Dia 25/08 (quarta-feira), às 19h, no Museu da Imagem e do Som (Av. Barão de Studart, 410 – Meireles)

Produtores Culturais
Dia 26/08 (quinta-feira), às 17h, na Secultfor (Rua Pereira Filgueiras, 4 – Centro)

Música
Dia 27/08 (sexta-feira), às 10h, na Secultfor (Rua Pereira Filgueiras, 4 – Centro)

Cultura Tradicional Popular
Dia 28/08 (sexta-feira), às 16h, na Casa Juvenal Galeno (Rua General Sampaio, 1128 – Centro)

Organizações Culturais Não Governamentais
Dia 30/08 (segunda-feira), às 17h, na Secultfor (Rua Pereira Filgueiras, 4 – Centro)

Dança
Dia 03/09 (sexta-feira), às 14h, na Vila das Artes (Rua 24 de Maio, 1221 – Centro)

Literatura
Dia 31/08 (terça-feira), às 18h30, na Biblioteca Pública Municipal Dolor Barreira (Av. da Universidade, 2572 – Benfica)

Fotografia
Dia 31/08 (terça-feira), às 19h, no Ifoto (Rua Gonçalves Ledo, 307 – Centro)

Audiovisual
Dia 01/09 (quarta-feira), às 19h, na Vila das Artes (Rua 24 de Maio, 1221 – Centro)

Regionais
Dia 02/09 (quinta-feira), às 18h30, na Vila das Artes (Rua 24 de Maio, 1221 – Centro)

ATENÇÃO!!!

Inscrições de candidatos:

Também no período de 23 de agosto a 3 de setembro, os candidatos a uma vaga no Conselho Municipal de Política Cultural podem registrar sua candidatura na Secultfor. Os requisitos exigidos são estar inscrito no Cadastro Cultural e ter tido a sua inscrição habilitada. Para o registro, os candidatos devem comparecer à Secultfor (Rua Pereira Filgueiras, 4 – Centro) e preencher um documento de solicitação de inscrição e uma declaração de não ser detentor de cargo comissionado na Prefeitura de Fortaleza.

Isabel Botelho
Secretaria de Cultura de Fortaleza

sexta-feira, 27 de agosto de 2010



Mercado dos Pinhões- TRÊS CADEIRAS PARA UMA MOURA TORTA - Paulo José
A CADEIRINHA E EU -Silvia Moura
Fotos:Lima Filho

quarta-feira, 25 de agosto de 2010

"Eu louvo a Dança,
pois ela liberta as pessoas,
unindo os dispersos em comunidade.
Eu louvo a Dança
que requer muito empenho,
que fortalece a saúde, o espírito, iluminando-o
transmutando o homem em uma alma alada.
Dança é mudança do espaço, do tempo,
do perigo contínuo de dissolver-se
e tornar-se somente cérebro, vontade ou sentimentos.
A Dança requer o homem libertado,
ondulado no equilíbrio das coisas.
Por isso eu louvo a Dança.
A Dança exige o homem
todo ancorado em seu centro
para que não se torne, pelos desejos desregrados,
possesso de pessoas e coisas,
e arranca-o da demonia
de viver trancado em si mesmo.
Ó homem, aprende a Dançar!
caso contrário, os anjos não saberão
o que fazer contigo."

Santo Agostinho

terça-feira, 24 de agosto de 2010



A CADEIRINHA E EU -
QUANDO: dia 26/Agosto/2010
ONDE :MERCADO DOS PINHÕES - ás 19:30h -QUINTA CULTURAL

A CADEIRINHA E EU é um solo composto em 1994 , completando em 2010 dezesseis anos em cena .Para comemorar convidei alguns artistas -que acompanham a trajetória do espetáculo para realizarem versões inspiradas no solo.
Iniciamos com Paulo José , que vem realizando trabalhos solos com forte inspiração no teatro.
O projeto apresentará as duas versões

A Cadeirinha e Eu Com Silvia Moura Com Paulo José



A CADEIRINHA E EU – Solo – 1994
Esse Trabalho permeia caminhos e situações do cotidiano Feminino, tocando nos tênues limites que separam vida e arte. Traçando uma Mitologia pessoal. Partindo da inocência na infância, os questionamentos da adolescência, e a maturidade da fase adulta como momentos que anunciam algo: a fragilidade , o encantamento , e a brutalidade que agridem e assolam cada um desses tempos. Naturalmente vai se percebendo tais nuances, ou seja , o impulso, a aceleração, o vigor, o silêncio, a(s) escolhas, o(s) abandonos. Tanto para quem fica bem próximo da cena, como na platéia, com níveis de apreensão que vão do encontro do entendimento a participação direta na cena. Uma obra que não se reduz a uma estrutura objetiva , mas que se “abre” para uma relação que se constrói com cada platéia, a cada apresentação. Construindo de forma lúdica um panorama sobre o que é se tornar "mulher", convivendo com todas as dificuldades e encantamentos que a vida nos oferece .
Ficha Técnica
Roteiro/Direção e Interpretação : Silvia Moura
Música : Loreena Mckennitt

quinta-feira, 19 de agosto de 2010

Compareçam.

Reunião do Fórum de Dança neste sabádo ,dia 21/agosto ás 10h no Teatro das Marias.
Pauta:

1.Apreciação do Estatuto do Fórum,
2.Definição de Normas de inscrição no Fórum
virtual.
3. O Conselho Estadual de Cultura.
4. Eleições, atuação do fórum em relação aos
Candidatos...
6. Conversa sobre candidaturas para o Conselho Municipal de Políticas Públicas;
Quem serão os possíveis candidatos;
7 . Decidir uma data a implantação do Fórum Permanente do Conselho (no qual deverão estar presentes todos os cadastrados na dança para conhecerem seus candidatos e suas ideias;
8. definir data de eleição do Conselheiro da dança: sugestão; Vila das Artes, dias 15 e 16 de setembro, horários???;
9. outras sugestões...


Vamos comparecer.

Onde vou estar -Agosto.

Dia 06/Agosto - Abertura do Festival de Teatro da SECULTFOR -17h na Praça José de Alencar com o CEM
Dia 13 /Agosto- OCUPA-SE - Na ARTELARIA ás 23h
Dia 21/Agosto QUINTAL- na minha casa -R. Barão do Rio Branco 2990 ás 19h
Dia 26/Agosto - A CADEIRINHA E EU e a versão de Paulo José -no Mercado dos Pinhões - Quinta Cultura/SECULTFOR
Dia 31/agosto e 01/Setembro- Seminário POLITICAS CULTURAIS, DEMOCRACIA e CONSELHOS DE CULTURA - Em Salvador - CNPC/MINC

terça-feira, 10 de agosto de 2010

Sintam-se convidados

REUNIÃO do FÓRUM DE DANÇA
Quando:
dia 11 de Agosto
Onde: Na Vila das Artes
Horário: 11h

Espero vocês lá.

Olha Ai!!! Que Bacana!!!!!

*UnB cria a disciplina "Artes e Ofícios dos Saberes Tradicionais"*


É com grande prazer que compartilhamos essa notícia, publicada por Ana
Lúcia Moura na seção de notícias da Universidade de Brasília. Trata-se de
iniciativa exemplar e inspiradora para os demais regiões do Brasil.
Benki Pianko é um grande especialista brasileiro em reflorestamento.
Maniwa Kamayurá conhece em detalhes as técnicas de construção indígena.
Lucely Pio é capaz de identificar com precisão qualquer planta do cerrado.
Mas o conhecimento de nenhum deles veio das salas de aula. Eles aprenderam o ofício com o avô, com a avó, com o pai, com a mãe. E passam sua sabedoria aos mais novos, aos filhos, aos netos. Agora, vão ensinar o que
aprenderam também aos alunos da Universidade de Brasília.

Benki, Maniwa e Lucely serão professores de uma disciplina de módulo livre
que deve ser inaugurada no próximo semestre: Artes e Ofícios dos Saberes
Tradicionais. Benki, que é mestre do povo indígena Ashaninka, no Acre,
Maniwa, pajé e representante dos povos indígenas do Alto Xingu e Lucely,
mestre raizeira da Comunidade Quilombola do Cedro, em Goiás, vão passar
adiante o conhecimento acumulado durante mais de séculos nas comunidades
onde cresceram e vivem até hoje. Benki e Maniwa são xamãs indígenas,
líderes espirituais com funções e poderes ritualísticos. Lucely é mestre
quilombola.
Além deles serão também professores da nova disciplina Zé Jerome, mestre
de Congado e Folia de Reis do Vale do Paraíba, em São Paulo, e Biu
Alexandre, mestre do Cavalo Marinho Estrela de Ouro de Condado, um dos
tradicionais grupos folclóricos da Zona da Mata pernambucana, que reúne
teatro, dança, música e poesia.
A criação da disciplina, que deve ter carga semanal de seis horas e
depende ainda de aprovação do Decanato de Ensino de Graduação, faz parte
de um projeto de introdução dos saberes tradicionais na universidade.
"Queremos promover um diálogo, uma troca de conhecimentos" , explica o
professor José Jorge de Carvalho, criador e coordenador do projeto e
também dos Institutos Nacionais de Ciência e Tecnologia. "Os mestres que
aqui estarão tem um modo de construir saberes que leva em conta não só o
pensar, que é característico da cultura das universidades, mas também o
fazer e o sentir", completa o professor.
AVANÇO - O professor José Jorge destaca, no entanto, que a introdução dos
saberes tradicionais não é uma negação da forma utilizada pelas
universidades de produzir e transmitir conhecimento. "Pelo contrário. É
uma soma. Sabemos coisas que os mestres tradicionais não sabem, assim como eles sabem muito do que não conhecemos. A universidade pode ser muito mais rica do que é", acrescenta. Cada mestre passará duas semanas na UnB e será acompanhado por um professor na sala de aula. "A universidade pode ser
mais rica do que é e para isso precisa fazer justiça à riqueza de saberes
que existem no Brasil", completa o professor José Jorge.
O diretor do Departamento de Antropologia, Luís Roberto Cardoso de
Oliveira, lembra que a criação de disciplinas de módulo livre, que
permitem aos alunos contato com um conhecimento totalmente fora de sua
área, foi um avanço. "E colocar os mestres frente a frente com os alunos e
ao lado dos professores é uma proposta que vai ainda mais além", comenta.
Para Nina de Paula Laranjeira, diretora de Acompanhamento e Integração
Acadêmica do Decanato de Ensino de Graduação, a iniciativa por si só já
demonstra uma mudança nos modos de pensar. "Precisamos superar o paradigma de que o conhecimento está limitado à comprovação científica", afirma.
TROCA DE SABERES - As bases pedagógicas e antropológicas da nova
disciplina serão discutidas nos dias 15 e 16 de julho, como parte do
seminário internacional que vai tratar da introdução de novos saberes nas
universidades. "O método de transmissão dos mestres tradicionais é
completamente diferente do nosso. O ideal para a raizeira Lucily, por
exemplo, é ensinar caminhando pelo cerrado", explica o professor José
Jorge.
Organizado pelos Institutos Nacionais de Ciência e Tecnologia e Ministério
da Cultura, o Encontro de Saberes vai reunir mestres indígenas e de
atividades folclóricas, professores brasileiros e latino americanos, além
de representantes do Governo Federal. No encontro, serão apresentadas
experiências de universidades de cinco países da América Latina que
desenvolvem projetos de inclusão de saberes tradicionais em seus cursos,
disciplinas e programas de extensão. O seminário, que acontece no
Auditório Dois Candangos, também será uma oportunidade para os novos
professores conhecerem melhor a UnB.
Entre os palestrantes estão o reitor da Universidade Amawtay Wasi do
Equador, Maria Mercedes Díaz, da Universidade de Catamarca na Argentina,
Jaime Arocha, professor de Antropologia da Universidade Nacional da
Colômbia, Carlos Callisaya, coordenador das Universidades Indígenas da
Bolívia no Ministério da Educação boliviano e Maria Luísa Duarte Medina,
que atua em projetos de inclusão dos saberes indígenas nas instituições de
ensino superior do Paraguai. "A presença de cada um deles mostra que a
inclusão dos saberes tradicionais na academia é um movimento cada vez mais
forte", afirma o professor José Jorge.

domingo, 18 de julho de 2010

Por onde vou estar.

Agenda Julho

03/Julho: OCUPA-SE ARTELARIA
10/Julho- Quintal - na minha casa .
13/Julho - EM BUSCA DE ... - CEM no SESC CENTRO 12h
14/15 e 16/julho - TRAIRI Oficina
17/Julho OCUPA-Se Artelaria
17/Julho - TJA - Oferenda para OXUM - 4h
19/20 e 21/Julho - Itapipoca - Oficina Montagem com Operários da Fábrica DASS
22/23 e 24/Julho - FESTIVAL LITORAL OESTE - Engarrafada -Trairi -Itapipoca e Paracuru
27/julho I PALHACEATA de Fortaleza -Concentração na Artelaria ás 14h
28/Julho - Encontro de Palhaços no Tja ás 14h
29/julho a 02/Agosto - Retiro de Palhaço e Palhaceata no Cariri-Juazeiro.

Eita!!!!!!!!!!!!!!!!Coisa boa é ter o que fazer!!!!!!!!!!!!

terça-feira, 13 de julho de 2010

Mais uma conquista

Caros amigos da DANÇA,

Publicado no DIÁRIO OFICIAL DA UNIÃO na semana passada a MOÇÃO DE APOIO À CÂMARA SETORIAL DE DANÇA que aconselha a todas as instâncias públicas ou privadas, em todas as esferas da FEDERAÇÃO, que evitem o uso da nomenclatura ARTES CÊNICAS como expressão generalizadora de áreas distintas como Teatro, Dança, Circo e Ópera.
Uma reinvindicação conquistada pelo COLEGIADO SETORIAL DE DANÇA !
Agora é garantir essa conquista e muitas outras que virão pela frente !
Abraços
Silvia Moura-Delegada do Colegiado Setorial de Dança-Minc

Vejam abaixo:

MOÇÃO No- 25, DE 23 DE JUNHO DE 2010
Moção de Apoio à Câmara Setorial de
Dança pelo cumprimento da Recomendação
nº 01/2005, que aconselha a todas as
instâncias públicas ou privadas, em todas
as esferas da Federação, que evitem o uso
da nomenclatura ARTES CÊNICAS como
expressão generalizadora de áreas distintas
como Teatro, Dança, Circo e Ópera.
O CONSELHO NACIONAL DE POLÍTICA CULTURAL -
CNPC, reunido em Sessão Ordinária, nos dias 22 e 23 de junho de
2010, e no uso das competências que lhe são conferidas pelo Decreto
nº 5.520, de 24 de agosto de 2005, alterado pelo Decreto nº
6.973/2009, tendo em vista o disposto em seu Regimento Interno,
aprovado pela Portaria nº 28, de 19 de março de 2010, e:
Considerando que a Dança é uma linguagem artística autônoma
no campo do conhecimento;
Considerando a importância da Dança como forma de expressão
artística cultural no Brasil;
Considerando que, segundo dados do IBGE, a Dança é a
segunda atividade artística mais disseminada no território, sendo que
cinquenta e seis por cento dos municípios brasileiros abrigam grupos
de dança;
Considerando que o ensino da Dança tem suas próprias Diretrizes
Curriculares organizadas pelo Ministério da Educação - MEC
e pertence a área de ARTES; e
Considerando a necessidade de alteração da legislação vigente
para a adequação necessária de maneira a assegurar e fortalecer
os direitos e deveres dos artistas da dança afim de que possam
empenhar, efetivamente, suas atividades de forma coerente com suas
especificidades;
Manifesta seu total e irrestrito apoio ao cumprimento da
Recomendação nº 01/2005, da Câmara Setorial de Dança, que aconselha
a todas as instâncias públicas ou privadas, em todas as esferas
da Federação, que evitem o uso da nomenclatura ARTES CÊNICAS
como expressão generalizadora de áreas distintas como Circo, Dança,
Ópera e Teatro.

JOÃO LUIZ SILVA FERREIRA
Presidente do Conselho

GUSTAVO VIDIGAL
Secretário-Geral

quinta-feira, 8 de julho de 2010

Comentário escrito á partir de provocações do um texto "EU NÃO GOSTO DE BEST-SELER!" , escrito por Mardônio Barros no blog http://omundoemprosa.blogspot.com
Visitem e leiam.




"Produzir arte com sentido". Talvez more ai a grande questão - como produzir arte com sentido???? e qual seria o sentido válido éticamente?????O que é sentido para mim é transformador para alguém?????
Arte engajada - durante anos "nós artistas" lutamos para libertar o nosso fazer do engajamento, porém nessa luta , talvez tenhámos perdido o senso da real necessidade de fazer arte.Queríamos uma arte livre , que na maioria dos casos tornou-se vazia , reprodutora de falsos sentidos ou massificadora.
Onde está a nossa ética ??vem a reboque da poética , da estética ???
Como construir valores éticos para a construção de um fazer artístico libertador, enriquecedor e que nos possibilite a criação de valores humanizadores ou pelo menos libertadores???????????????????

Tantas questões...
Silvia Moura

quarta-feira, 7 de julho de 2010

No dia 10/julho


Vamos retomar O QUINTAL...
Vem , vai ser bom demais!!!!!!

ONDE : Minha casa - R. Barão do Rio Branco 2990 - Benfica -próximo da Av.13 de maio

á partir de 19h , eu vou ficar até o sol raiar e chiar mandando a noite ir embora , e você??????
Trazer coisinhas para beliscar e quem quizer beber - bebida.Se quizerem podem cozinhar também,tá valendo.
Traga seu melhor sorriso, seu encanto, sua disposição pra bater papo, cantar , ver dança, se encantar.
Desde já me preparo.

Aguardo vocês .


Silvia Moura

sexta-feira, 25 de junho de 2010

EU VOU...EU VOU...EU VOU...
Itapipoca -onde me recebem com abraços , onde vou sempre com coração em festa, onde até os loucos e abandonados dançam.
Vou- de 28 a 30/junho estar com os operários da DASS.
Confesso : estou nervosa, Quero que seja muito bom pra mim e pra eles, não apenas bom - mas, MUITO BOM.
Que seja.
Começamos aqui o FESTIVAL DO LITORAL OESTE 2010.
Vamos dançar...

terça-feira, 22 de junho de 2010

idéias...vontades...


observar, catar,começo, lista de assuntos , intenções.
Sobre o que quero falar ???????????
Desabafar....

terça-feira, 8 de junho de 2010

Assim...

Estou pensando numa coisa......

Tenho já um nome pra ela :



ANATOMIA DAS COISAS ENCALHADAS - Ou

COLEÇÕES DE COISAS INUTÉIS

sábado, 5 de junho de 2010

sexta-feira, 4 de junho de 2010

Dia cheinho de dança...

Acordar - correr comprar pregos , correr ajeitar figurinos para o espetáculos, ir e fazer espetáculo as 12h, correr, comer , imprimir material e ir para o FALAR DE DANÇA na Vila das Artes, falar, falar, falar, e depois correr ir fazer espetáculo ás 18:30, fazer espetáculo, conversar com o público, arrumar as coisas para voltar para casa, chegar, correr ,fazer comida e comer....
Foi bom...
Silvia M.

quarta-feira, 2 de junho de 2010

E lá se foi....

Parte KAZUO OHNO , aos 103 anos.
somos menos agora...
fica mais uma lacuna,
menos um espaço de criação, um criador .
Estou triste.
Que siga em paz,
sua dança continuará reverberando nos olhos e no coração dos que ficam.
Silvia M.

domingo, 30 de maio de 2010

FALAR DE DANÇA- 04/Junho 2010
Ás 15h na Vila das Artes
ORGANIZAÇÃO/PLANEJAMENTO E ESTRATÉGIAS NACIONAIS PARA A DANÇA
SILVIA MOURA-CE e MARCOS MORAES - SP
Delegados do Colegiado Setorial de Dança

O projeto Falar de Dança é uma iniciativa do Fórum de Dança do Ceará com o objetivo
de instigar e promover conversas sobre dança, sua diversidade de temas, questões , pensamentos artísticos
e políticos na cidade.

Não Percam. Divulguem esta Iniciativa!!!
Esta é uma Ação do Fórum de Dança do Ceará

sexta-feira, 28 de maio de 2010

Em 8 anos , no CEM, juntei tantas imagens inesquecíveis...
Tantos processos...Tanto pra falar...

Quando eu era criança...
Perguntas...
Eu quero...
Mentiras Sinceras não me interessam..
Você mentiu hoje ????
Uma mulher caminha sozinha ao sol do meio -dia...
Tantas questões...
vidros quebrados...cacos...restos...vazios...
Liberdade.Prisão.Opressão.Confrontos...Enfrentamentos...
Quanta coisa eu vivi com tantas pessoas, em tantos momentos ...
8 anos - 2.920 dias atrás, decidi estar num coletivo.Quantas vezes nos apresentamos????Quantas pessoas nos virão????quanto de nós transformamos?????
Quantas vezes vencemos nossas limitações???
Não tem como mensurar...
Está na minha pele-no meu corpo-memória.
Desejo não esquecer.

Essa é a minha maneira de comemorar -NÃO ESQUECER!!!!!!!

Silvia Moura

...


Saudade de criar, sinto um espetáculo roendo dentro do meu peito,querendo sair , como tosse.
Falta de estar em cena , de ver o processo se construindo aos poucos, as imagens fazendo sentido.
As relações se estabelecendo, o momento de dizer-cheguei em algo que quero falar...
Sobre o que vai falar?????????????

terça-feira, 25 de maio de 2010

O cartaz da primeira Oficina ministrada por mim...



Cartaz de Paulo Ess para a primeira oficina que ministrei.
Onde ??? no Theatro José de Alencar no ano de 1988.
Começei bem, 28 pessoas inscritas , 28 concluiram.Foi tão importante.Tanta responsabilidade.